31 de julho de 2014

Blind Date: Bónus - Próxima Curtinha

Olá de Novo! 
Vossos comentários fizeram-me vir colocar já o Bónus =D
Espero que gostem amores.
Comentários já respondidos


1 Ano Depois
Laura

Tinham sido uns loucos e inesquecíveis três anos. Três anos que tive com ela. Chamei-a de amiga e tornei-a a melhor amiga, uma irmã que nunca tive.
Não só a casa tinha ficado vazia, como também tinha perdido um bocado de mim.
Como alguém que nem gripada ficava foi-se num simples estalar de dedos.
Mas ela estava feliz, ao menos parecia que estava, porque acho que foi o único ser humano que tinha morrido com um sorriso nos lábios.
O seu sorriso.
Sílvia sorria mais que falava. E quando falava… fazia sorrir.
Acho que ela queria era não ter muitas pessoas chorando no seu enterro. Mas ela teve muito amor.
E pelos vistos a minha menina marcou bem o homem, porque apesar de ter sido uma noite, ele chorou como se a conhece-se por uma vida.

***
Deitei fora o ar que continha em meus pulmões por segundos, e entrei no novo lar de minha melhor amiga.
Não era bem o lugar de sonhos dela, muito pelo contrário, morte é um assunto que nunca tocamos, quanto mais cemitérios. Nem sequer sabia se devia crema-la ou enterrar, nem muito menos condições para decidir tinha.
Doutora Emily fez tudo por mim, ela conhecia um lado de Sílvia que eu não conhecia. Conhecia a parte de sua mente que eu achava que era timidez, enquanto parecia mais medo. Medo de deixar pessoas sofrendo.
Mas como eu poderia sofrer por ter conhecido aquela portuguesinha. Eu era feliz por ter tido ela em minha vida.

Sorri ao ver ao ver aquele corpo diante a campa dela.
Sentado a chinês na relva com uma taça de vinho em sua mão, uma garrafa ao seu lado e outra taça junto a lápide.
Se não fizesse o mesmo que ele estava fazendo todo o mês diria que ele estava maluco, provavelmente ainda poderia achar que ele era maluco. Ou a Sílvia tinha feito alguma magia naquele homem para ele estar ali, bebendo vinho, conversando com uma lápide que tinha uma foto da minha melhor amiga com seus cabelos encaracolados, obviamente ela me mataria por todos que quisessem saber como ela era, viriam ela daquela forma.
- Ela não gostava assim tanto de vinho – disse próxima a lápide – Ela praticamente nem bebia nada com álcool – sentei-me ao lado dele.
- Foi a única coisa que bebi com ela – disse sem tirar os olhos dele da lápide.
- Por isso é que conseguiste entrar nas calças dela – inclinei-me para frente e coloquei as orquídeas brancas por trás da taça de vinho – Porque estás aqui? – Minha curiosidade venceu.
- Um ano …
- Laura – terminei por ele – Mas não precisas vir, mal a conhecias – lembrei-lhe.
- E mesmo assim entrei nas calças dela – disse fazendo-me rir, peguei na garrafa ao seu lado e dei um gole.
- Ela era assim tão boa? – Perguntei curiosa.
- Uma estrela – disse com os olhos fixos na imagem de Sílvia.
- Sabe que você pode encontrar uma outra mulher – avisei-o.
- E irei – respondeu – Mas não será como ela – disse – Queria que tudo fosse diferente – avisou – Ou ter conhecido ela mais cedo.
- Já estava destinado desde o dia que ela nasceu – disse dando outro gole na garrafa.
- Queria poder ama-la e ela amar-me, ela era a minha pessoa certa – deu um gole em sua taça.
- Tu já a amas – disse o que seus olhos transmitiam.
- Pois eu já a amo – confessou – Eu amo ela – riu – E agora? – Olhou para mim pela primeira vez.
- Bem, se te faz feliz ela disse-me que tu és como eu, e ela amava-me – disse orgulhosa – Então ela também amava-te – sorri para ele, encantada com os verdes dos seus olhos – Agora você procura outra pessoa, mesmo que não for a certa – aconselhei.
- Sabe que eu obriguei a minha mãe a combinar o encontro – disse terminando todo o vinho de sua taça e tirando a garrafa de minha mão – Eu vi-vos a falar com a minha mãe quando eu fui busca-la para almoçar – começou a justificar-se – Não sei o que havia nela, mas eu insisti tanto que como se eu soubesse que era ela – deu mais um gole na garrafa – Fingi o jantar inteiro que não sabia quem ela era, e cada minuto que passava ao lado dela mais certeza tinha de algo que ainda não sabia que era – entregou-me a garrafa – Quando a beijei, explodi, meu coração parecia fogos de artificio – os seus olhos estavam unidos a imagem dela – Foi tudo tão rápido e tão maravilhoso, foi perfeito até ela começar a sangrar e desmaiar nos meus braços. E ali o tempo congelou, o clima esfriou e os fogos-de-artifício cessaram – as lágrimas já corriam por sua face – Tive tanta inveja por seres tu a última pessoa que ela viu – olhou para mim.
- Mas foi a tua voz a última que ela ouviu – “Minha menina das terras de Camões” meu consciente citou.
- Ela ouviu?
- Ela sorriu depois disso – informei – Sílvia foi uma sortuda.
- Não, nós é que fomos – disse puxando meu corpo mais próximo ao dele e deitei minha cabeça sobre seu ombro.
Não é que ele estava certo. Sortudo fomos nós, por ter um anjo.

Finalmente
Fim.


_________________________
Então?
Eu acho que a Amanda agora é que vai arrancar os cabelos de ansiedade até segunda-feira.
Porque eu nem trecho irei deixar. =P
Talvez Amanhã se receber mais comentários divinos como os que recebi.
Obrigada mesmo meninas, vocês estão dando-me confiança para escrever mais e mais, e mostrar que era bem mais o meu problema. 
Obrigada mesmo!
Próxima Curtinha... Tu Como Protagonista ... Amanda.
To Cold To be Without You
Culpem a música que estão a ouvir "Sweater Weather" pelo nome.
Até Amanhã, talvez =D

9 comentários:

  1. Sem comentários!! Perfeito!!
    "Minha menina das terras de Camões" owwwnt!
    Realmente, vou arrancar os cabelos até lá! Uma perguntinha básica: vai me matar também? É que eu tenho que me preparar psicológicamente pra ver a minha morte u.u
    Brincadeira! Não responda!
    Posta logo, estou ansiosíssima! ( esta palavra ficou estranha, não sei se está certa :s )
    Beijos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não arranque todos tá querida :D
      Você disse para não responder, mas eu vou dizer eu respondo na mesma "Não sei, essas coisas vêem no momento, eu não planejo nada, deixo simplesmente fluir, depois acabo por me surpreender como vocês"
      Se você visse quantas palavras estranhas eu invento... :D
      Beijos

      Eliminar
  2. Eu estou chorando aqui porque acabou! E eu tenho a certeza que se continuasse, a Laura ficaria com o Sam.
    Adorei a Curtinha que fez para mim.Obrigada!
    Mas estou pronta para ler a Curtinha da Amanda. Quem foi o ator/cantor que ela escolheu?Esqueci :(

    Beijos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ownnnt, não chora mais!
      Queria poder dizer que sim, mas não sei, eu nem sabia que ias morrer.
      De nada, e agradeço pelo apoio e confiança.
      Ela escolheu Steven R McQueen - Jeremy Gilbert do TVD
      Beijos

      Eliminar
  3. Que final triste :(
    Mas gostei. Parabéns!
    Estou cá para a próxima curtinha.

    Bjs :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também achei e quis mudar.
      Mas não consegui algo mais bonito que isso.
      Obrigada :D
      Fico muito feliz por gostares e continuares aqui :D

      Eliminar
  4. Quase chorei com o final.Que lindo.
    Posta logo.
    Beijos :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quase :/ Acho que isso também é bom :D
      Quis que rissem, mas tudo bem (brincando)
      Segunda começa de verdade, mas deixei um trechinho.
      Beijos

      Eliminar
  5. erii, se um dia voce parar de escrever eu vou ficar muito chateada contigo, tu tens muito talento, espero que no futuro possa encontrar obras tuas em livrarias.

    ResponderEliminar

© Curtinhas , AllRightsReserved.

Designed by ScreenWritersArena