5 de agosto de 2014

Too Cold To Be Without You - 2


Amanda

Desci do carro sem nem mesmo aguardar por algum sinal de cavalheirismo por parte dele, nunca iria aguardar por algum sinal de cavalheirismo vindo de algum ser do sexo oposto que estudava na mesma escola que eu, seria demasiado idiota para deixar-me levar por essas ilusões de livros, já fico demasiado feliz por poder andar de mãos dadas, ou ser beijada durante a hora do almoço. Isso era o romantismo do mundo actual, além do mais ele não usou o whatsapp para convidar-me para fogueira que já lhe fazia ganhar cinco estrelas.
Michael Trevino sorriu para mim, enquanto esperava que ele tranca-se seu carro para podermos ir ter com o resto das pessoas da escola.
Suas mãos entrelaçaram-se nas minhas dirigindo-nos para a onde saia uma fumaça no meio da praia.
Ao contrário do que sempre acontecia, senti nada, como se fosse meu pai segurando a minha mão, e era o Michael, ele era a versão de sonhos do Steven, quando ele estava com uma menina era só ela e ninguém mais, sendo eu apaixonada por ele, de sonhar mais com ele do que sonho com Ian Somehalder, o que se significava que era realmente sério.
Sentia simplesmente sua mão na minha e nada mais, nada de timidez, nada de frio na barriga, simplesmente sentia a sua mão.
- Olá! – Michael cumprimentou o pessoal que estava sentado a volta da fogueira.
Um grupo de 7 pessoas que pertenciam ao meu núcleo social, com excepção a ruiva peituda que tinhas os seus lábios presos no pescoço de meu melhor amigo, que de tão entretido que estava nem se preocupou em responder, e irritando-me de modo que eu nem me preocupei em saudar ninguém.
Só havia dois lugares livres na fogueira, o colo de Michael, e um pequeno espaço no tronco ao lado de Steven. E por alguma razão estranha, nenhum deles satisfazia-me, talvez o tronco se não tivesse uma peituda arrancando os lábios de meu melhor amigo.
- Vem cá – Michael convidou puxando minha mão, para poder sentar-me em seu colo.
Ricardo, o único rapaz com dotes musicais do nosso grupo, começou a tocar a sua pequena viola, fazendo a melodia maravilhoso suavizar o clima.
Os dedos de Michael traçavam alguns padrões estranhos em minhas costas enquanto conversava divertido com seu melhor amigo e namorado de Bianca, ou seja, o corno da Bianca.
Revirei aos olhos lembrando-me de quão irritada estava com Steven depois de ter ido embora pela manhã sem nem sequer despedir-me.
Os nossos olhares se encontraram tendo no meio as chamas altas da fogueira dando um brilho nos seus olhos tão castanhos quanto os meus. Os seus lábios curvaram-se, exibindo um sorriso que não sabia se era divido o que a ruiva sussurrava em seu ouvido, ou pelo mesmo motivo que eu sorria.
A melodia que saia do violão tornou-se mais lenta, mais relaxante, a linda voz Ricardo abafou os murmúrios das conversas e dos pequenos sons provocados pelas acções feitas pelos restantes.
Ao contrário dos demais, meus olhos não desviaram-se para Ricardo, meu objecto de observação era o mesmo. O rosto que eu conhecia há 9 anos. Os mesmos traços que com o tempo apenas tinham ganho mais definição, a mesma boca que apenas passou a ser usada para coisas menos higiénicas que comer plasticina, o mesmo rapaz que eu tinha feito chorar por horas trancando-o no sótão.
- Oh – murmurou no meu ouvido seguindo a melodia da música – She knows what i think about and what i think about – cantou Michael no meu ouvido junto com o resto do grupo – One love, two mouths – os olhos de Steven cruzaram-se com os meus e senti algo estranho – One love, One house – os lábios de Steven murmuravam as palavras que estavam sendo citadas no meu ouvido – No shirts, no blouse – os dedos de Michael desceram pelas minhas costas enquanto sua voz suava mais rouca – Just us, you find out – meus olhos fecharam-se e minha mente viajou – Nothing that i wouldn’t wanna tell you about, no – senti seus lábios no meu pescoço e olhos castanhos iluminados pelas chamas fixos na minha mente – Cause it’s too cold – meu estomago começou a borbulhar – For you here… and
Senti meu corpo a ser puxado e o som da viola e das vozes cessar.
-Steven – reclamei quando identifiquei o idiota que tinha quebrado a vibe de todos.
- Vem comigo agora – disse fuzilando-me com os olhos e puxando-me forte.
- Qual é o teu problema? – Removi minha mão bruscamente do seu aperto.
Estávamos a apenas a menos de dois metros de onde o resto do pessoal se encontrava. Seus olhos ardiam, assim como o meu pulso que em breve teria as suas mãos marcadas neles.
Esqueci-me da dor que sentia em meu pulso e esfreguei meus braços quando um ventinho fresco tomou o ar. Bem que minha mãe tinha dito que iria sofrer, mas nunca é uma péssima oportunidade para usar um crop top e shorts de cintura alta.
Senti o pedaço de pano quente cobrir meu corpo, e com ajuda do mesmo o meu corpo foi puxado para frente.
Não era baixa, muito pelo contrário tinha altura para invejar qualquer rapariga com o sonho de ser modelo, mas Steven conseguia ser mais alto que eu, o que fez com que elevasse meu rosto para poder encontrar seus olhos.
- Ainda não respondeste-me? – Disse aconchegando-me no seu casaco.
- Ele não é para ti – disse com os olhos fixos onde Michael estava.
- Não me vou casar com ele – disse revirando os olhos.
- Por favor – colocou suas mãos em cada lado de meu rosto e agachou-se um pouco para ficar mais ou menos na minha altura – Fica longe dele – pediu-me – Ele não é de confiança.
- Não sei onde saiu essa paranóia toda, mas estamos a falar do Michael – lembrei-o – Não de ti.
Suas mãos abandonaram meu rosto deixando um frio possuir as zonas que elas cobriam, e uma expressão vazia tomou conta de sua expressão.
Dois passos em ré, e logo percebi que tinha falado merda!
- Desculpa – aproximei-me e ele recuou – Essa atitude de ofendido não funciona comigo – disse meio irritada – O Michael é o rapaz mais perfeito para mim – disse – Perfeito para qualquer rapariga.
- Já reparei – disse indo embora logo de seguida.
Mas o que foi que fiz?

___________________________
Oi meninas!
Como estão? 
O "Nada" não foi para o beijo Stevanda . Não sei se vocês entenderam? Mas sim para a pergunta do beijo com tal Michael, só queria esclarecer, mas acho que entenderam, é que eu li e achei que não ficou tão claro.
Enfim, amanhã não postarei, mas na quinta postarei. 
É que quero escrever uma outra terceira parte, caso algo me fizer crer que está suficiente boa para mostrar-vos irei postar amanhã.
Minha confiança quer mexer comigo.
Beijos. 

10 comentários:

  1. o que o Ricardo estava a tocar era mesmo uma viola pequena ou um ukulele? se a Amanda não deu conta que o Steve está com ciumes ela não está bem. é uma pena que amanha não tem :-(

    ResponderEliminar
  2. Hey
    Ah ta, eu realmente não havia entendido a questão do beijo.
    Eu pensei que ia chamar o Michael de Steven haha a coisa ia ficar tensa!
    Me chame de boba, mas achei esse ciúme do Steven (apesar de exagerado) fofo.
    Estou começando a entender a personalidade do Stev, ele gosta de mim e demonstra isso em forma de ciúme, mas não percebe que as "putarias" dele também me magoam.
    Quero mais! Posta logo!
    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. HAHAHA! Mas agora já entendeu-
      Hahahaha! Ficaria mesmo tena.
      Não chamo de boba não! Também tenho a mesma opniã.
      Homens e as suas demostrações de afecto

      Eliminar
  3. Pára tudo? O Michael era o Michael Trevino? Não acredito! Por acaso até prefiro o Steve <3 É Steven mas chamo ele de Steve.
    Vou adorar esse casal! Quer dizer, já estou a adorar!
    Posta logo.

    Bjs :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Own, obrigada :D
      Eu sou mais Ian ( hahaha) Mas prefiro muito o Joseph Morgan

      Eliminar
  4. Coitado do Steven :( Fiquei com pena dele. Quero esses dois juntos!
    Posta logo.

    Beijos.

    ResponderEliminar
  5. Hey, eu de novo!
    Comecei uma nova fanfic no meu blog, ficaria feliz se você pudesse ler.

    http://amandasfanfic.blogspot.com

    Beijos!

    ResponderEliminar

© Curtinhas , AllRightsReserved.

Designed by ScreenWritersArena