28 de setembro de 2014

WHO? - 2


Deixei o ar que tinha prendido no peito sair assim que entramos na enorme casa da família de meu marido, sua mão que estava unida a minha apertou num jeito de fazer-me parar no meio do hall antes que pudéssemos entrar na sala de estar que era onde provavelmente todos os membros Hemsworth se encontravam, naquela tarde de domingo.
Elevei o meu rosto para poder olhar para o homem que ainda me encontrava extremamente chateada e o enorme sorriso que tinha em seus lábios derrubou todas as barreiras que tinha criado naquele instante.
Eu o amava, apesar de nem sempre suportar suas atitudes ou até mesmo suportar sua mãe. Eu o amava, jamais unir-me-ia a alguém num laço tão forte quanto é o casamento se eu não o amasse. Mas como minha mãe por vezes dizia “ O amor não é chave da eternidade”, por mais difícil que seja crer nisso, minha mãe talvez não estivesse errada.
- Amo-te – sorri diante a sua confissão, depositei todo meu peso nas pontas dos meus pés e uni meus lábios aos seus, num beijo breve com o objectivo de o responder sua confissão.
Seu sorriso alargou com o meu gesto e voltamos a caminhar de encontro aos restantes membros de sua família.
Como todos os domingos que a família unia-se a sala de estar que tinha uma vista perfeita para o enorme jardim daquela mansão encontrava-se animada e desarrumada . Era o único dia que Leonie, minha sogra, não se preocupava com as coisas fora do lugar, o que seria realmente difícil com a animação que suas três netas tinham.
Antes mesmo que pudesse murmurar alguma coisa semelhante a uma saudação senti meu corpo a ser esmagado por braços fortes.
Soltei uma gargalhada ao sentir meus pés longe do chão e meu corpo a ser rodado no alto. Não era capaz de ordenar ao desordeiro e nada educado homem para parar porque também sentia falta da maneira muito estranha que nos saudávamos.
Desde que nos tornamos amigos no primeiro ano da faculdade sempre foi dessa forma que nos cumprimentávamos, independente do lugar que nos encontrávamos ou com quem estávamos, coisa que mudou muito desde que me tinha casado com seu irmão.
- Maneiras Liam – a voz fina e um tanto irritante ecoou pela sala fazendo meu melhor amigo colocar-me ao chão, afastei-me dele ainda tentando conter as gargalhadas e virei-me para Leonie que não se encontrava com um dos seus semblantes mais simpáticos – Estela! – Saudou-me friamente.
Como sempre fazia, o que a deixava muito irritada beijei uma das suas bochechas e sorri indo de encontro a Craig, meu sogro, que por alguma razão que não conseguia encontrar tinha-se casado com ela.
Craig recebeu-me com um abraço apertado, assim como Luke, meu cunhado, sua esposa e suas filhas.

Sentia-me observada por três pares de olhos enquanto brincava com a pequena Harper no meio do jardim, sempre era mais divertido do que ficar fingir que cozinhava com a minha querida sogra. Não me encontrava preparada para lidar com as suas indirectas naquela tarde, nem muito menos agir como se tivesse tudo bem entre mim e Chris.
Harper abandonou-me correndo em direcção as irmãs que brincavam alguns metros de nós com as suas bonecas. Sentei-me nas escadas que davam acesso aquela maravilha de jardim e observei-as.
Eu queria aquilo, queria mesmo muito aquilo. Queria muito ver um pequeno ser correndo de um lado para o outro, uma pequena cópia do Chris ou minha. Mas por alguma razão aquilo não acontecia, não adiantava injecções ou mesmo largar as pilulas, não há nada que fizesse que dar-me-ia o prazer somente de ter esperança que isso acontecesse, parecia que tudo estava contra, que não era para ser, mas eu queria que fosse.
Senti mãos fortes em meus ombros massajando-os, eliminando a tensão que sentia nos últimos dias.
Nada foi dito por minutos, meus olhos continuavam fixos nas três pequenas meninas que brincavam ao longe e as suas mãos nos meus ombros relaxando-me.
- Tiveste muito tempo longe – tentei iniciar uma conversa.
- Estarias comigo se assim preferisses – disse parando a massagem.
- Foi demasiado tempo, não podia aceitar - sentei-me na lateral para poder o encarar - Sou uma mulher casada, lembras?
- Como me poderia esquecer – respondeu com olhos fixos nas suas sobrinhas – Meu irmão lembra-me disso sempre que pode.
- Por vezes ele esquece – novamente a nódoa de seu pescoço veio a minha mente.
- Então é isso que te perturba? – questionou encontrando meus olhos – Que ele te esteja a trair?
- Tenho a certeza que sim – respondi de imediato – E tua mãe sabe – disse.
- Ela pode não ser tua melhor amiga, mas não tenho a certeza que ela permitiria isso – disse voltando seus olhos na direcção das três pequenas meninas.
-  Ainda te irei provar que estou certa – disse colocando-me na minha posição inicial.
- Não disse que estavas errada – sussurrou em meu ouvido, fazendo-me tremer.
Coloquei-me em pé ao ouvir o som de uma tosse falsa e um tanto irritada, Liam teve a mesma reacção que eu, ficando em pé e encarando-o nossa nova companhia.
Meus olhos ignoraram o dono da interrupção, e dirigiram-se para a mulher que estava ao lado de meu marido, a alta e loira mulher que outrora foi sua namorada e até hoje a favorita de minha adorada sogra, Elsa.
- O que ela faz aqui? – questionei abafando o som da saudação da mulher ao lado de meu marido.
- Leonie convidou-me – respondeu encarando-me.
A maneira despreocupada que ela citou tais palavras e onde sua mão se encontrava foi a prova que queria dar a Liam, estava mesmo ali frente a nós os dois, a amante que minha sogra tinha arranjado.
Apenas conseguia ouvir o meu nome a ser chamado enquanto dirigia-me a cozinha onde tinha certeza que Leonie se encontrava.
- O que foi que eu fiz que a faz odiar-me tanto, diz-me? – Questionei para mulher quase nos seus 60 anos que estava orientando a cozinheira de como devia servir o almoço.
- Para com isso, por favor? – A voz que sempre me acalmava, e fazia-me derreter naquele momento apenas aumentava a minha raiva.
- Tu estás descontrolada Estela – Leonie disse sem dar a mínima atenção para mim – Elsa trouxe seu prato favorito Chris – sorriu dirigindo-se ao filho.
- Mãe! – O som da sua voz estava mais alto que o costume, quando era dirigido a sua mãe – Tu não devias ter feito isso – repreendeu-a.
- A casa é minha eu convido quem eu quiser – falou com olhos fixos em mim – Infelizmente não tenho controlo das pessoas que os meus filhos trazem – disse dando-me uma enorme vontade de voar para seu pescoço.
- Não entendo porquê que deixou-me casar com seu filho se me odeia tanto? – Questionei tentando conter as lagrimas.
- Podem deixar-nos a sós – disse dirigindo-se para as pessoas por trás de nós que nem sabia que lá estavam – Tu também Chris! – Ordenou.
- Mãe! – Resmungou recebendo um olhar ameaçador de sua mãe.
 Ela sentou-se numa das cadeiras da mesa cozinha e convidou-me que o fizesse também.
- É muito mais fácil livrar-me de ti casada com o Chris, do que seria se tivesses casada com o Liam – senti-me quebrar com as suas palavras, a firmeza dos azulejos sumiram e parecia que caia num poço fundo e infinito – Tu enfeitiçaste meus dois filhos, e por alguma razão que não entendo casaste-te com aquele que menos amas – explicou-se.
- Desculpa Leonie, mas sua justificação é ridícula, eu amo o Chris, Liam é meu melhor amigo, sempre foi e sempre será – falei tentando manter-me calma – Seu desgosto por mim é baseado em teorias inexistentes, em mentiras – conclui.
- Única coisa baseada em mentiras é o teu casamento, minha querida – avisou-me.


Image and video hosting by TinyPic



__________________________________
Oi e desculpas mesmo!

Amanda – Obrigada por teres amado! É ele é mesmo! Hahaha, caminho está livre Estela! Beijos
Diana – Sei como é também tenho essa de não querer levar a crush a sério quando a celebridade está numa relação. Bjo
Estela – No momento surgiu isso “Grande intriga” foi o que li. Não sou muito boa nisso das junções (horrível até!) Até soa bem o resultado da tua criatividade. Bjo
Ilka – HAHAHAHAHAHAHA! Preciso de um momento para recuperar deste comentário!
Silvia – Tadinho do Chris! Vamos torcer para que ela fique com o Liam. Beijos

Só irei postar aos Domingos e Segundas, e se não postar nas segundas, é porque nem todas vocês comentaram, e que prefiro postar quando sei que todas leram.
E mais uma vez desculpa e beijos.
Como foi a volta às aulas?

4 comentários:

  1. Já estava preocupada com o desaparecimento repentino sem aviso.
    Adorei! A sogra já sabia que eu gostava mais do Liam que do Chris. Eu amo a Leonie. Ela é tão linda, e os filhos saíram todos igualmente lindos!
    O Chris fica bem com a Elsa. Já me acostumei a gostar dela na vida real :D
    Posta logo.

    Beijos :)

    ResponderEliminar
  2. nice, a mãe é uma cobra, os filhos girafos, e o pai é o que? FOGE ESTELA! FOGE! ANTES QUE A VÍBORA ATAQUE.

    ResponderEliminar
  3. Estela, vai para o Liam e esquece a sogra cruel.
    Posta logo.

    Beijos.

    ResponderEliminar
  4. Adorei o capítulo!
    A sogra pode ser uma víbora mas tem toda a razão.
    Quero o próximo!

    Bjs :)

    ResponderEliminar

© Curtinhas , AllRightsReserved.

Designed by ScreenWritersArena